segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Das grandezas da Mãe de Deus


O servo - Quaisquer sentimentos que de Vós procedam Ó Virgem Santa não se compararão jamais às vossas grandezas que muito acima se acha de todas as nossas concepções. Para que de vós dignamente se fale, fora mister compreender o que há de maior aos pés de Deus, em graças, em perfeições, em poder e em glória! "De vós é que nasceu Jesus!" Se o Evangelho, ao nos ensinar esta verdade, não se estende em demasia acerca dos vossos louvores, é porque essas palavras bastam para fundamento de todos os elogios que vos possa tecer. "De vós, Senhora, nasceu Jesus!" A vossa dignidade de Mãe de Deus não é nada menos que uma espécie de afinidade com o soberano Ser.  O efeito da maternidade divina é aproximar -vos o mais possível da Divindade.
Essa dignidade fez que contratásseis com Deus uma aliança singular em virtude da qual vos tornartes Filha do Eterno Pai, a Mãe do Filho e a Esposa do Espírito Santo, por uma admirável maneira somente própria de Vós.  Em virtude dessa aliança sois em verdade a Rainha do Universo e a Rainha dos céus! Dizer que "Jesus nasceu de Maria" quer dizer que acima de Maria só se vê Deus. Oh Virgem Mãe, o Anjo que ultrapasse os outros Anjos em Graças de perfeições não poderá estar acima do plano dos vossos servos, tamanha a distância entre Vós e os Anjos!

Eu meço a vossa grandeza pela grandeza do vosso filho, a refletir-se necessariamente sobre Vós mesma. Conhece-se a mãe pela excelência do Filho. Compreendo sem esforço que a augusta qualidade de Mãe de Deus é a fonte das Graças de que Deus vos acoberta de todas as prerrogativas com que Deus se apraz em distinguir-vos.Em virtude ainda dessa qualidade, exerceis uma espécie de domínio sobre todos os tesouros das Graças que Jesus distribui, bem como adquiristes absoluto poder junto ao filho de Deus.
Compreendo como certas leis gerais, que são punições do pecado original, não tenham cabimento em se tratando da Mãe de Deus. Porquanto,a amabilissima mãe do meu Deus fora expressamente eleita para essa altíssima prerrogativa.

E mais, entendo agora que, pelo fato de terdes dado a Deus aquela Vida pela qual fomos resgatados, bem mereceis o título de "Mediadora da Salvação", sem sacrifício, todavia, da qualidade de única mediação, no seu sentido próprio.Como, porém, entender toda eminência de vossa dignidade? Ai! é tudo tão grande em se tratando da Mãe de Deus que os próprios Serafins se contentam em admirá-la. Vós mesma, Senhora, em poucas palavras resumistes na casa de vossa prima Isabel tudo o que Deus vos fizera: "O Todo-Poderoso fez grandes coisas em meu favor"

E a igreja, apesar do amor que vos dedica e do zelo pela vossa glória, constrangida está a confessar quando considera que  "em vosso seio trouxestes o que os céus não podem conter” que não sabe que expressões empregar para publicar os vossos louvores.
Oh! Mãe sublime do Meu Deus, em vossa presença, até o fundo da alma me vibra a mais profunda admiração! Em face das grandezas que considero em Vós, Senhora, presa me sinto de um temor sagrado e de um respeito que me curva, aniquilado, aos vossos pés!

(Imitação de Maria, 1938, por um religioso anônimo, livro IV, cap I)



Nenhum comentário:

Postar um comentário